Filmes e bastidores, as 10 curiosidades mais estranhas do cinema

16/07/2018 - 10:50 2549 Views

Surpresas, comoção e lágrimas, mas também romantismo e risadas. O cinema realmente nos dá muitas emoções graças aos atores que se dedicam completamente aos filmes em que decidiram atuar.

É sempre divertido conhecer o pano de fundo do que acontece durante as filmagens, as manias dos atores, os diretores, os amores que podem nascer no set, mas é igualmente interessante entender as dificuldades dos papéis e as exigências que esses artistas precisam atender todos os dias.

Vamos descobrir juntos algumas curiosidades sobre filmes como Titanic ou Django (quem aprecia Leonardo Di Caprio certamente ficará feliz), fatos estranhos relacionados a cenas que ficaram para a história, e vamos entender como é possível fazer um filme com pouco orçamento e torná-lo um verdadeiro clássico que resiste ao tempo.

Você está pronto para não sentir mais inveja de suas estrelas de cinema favoritas? Vamos mergulhar no mundo das loucuras de Hollywood e dos cenários mais amados. Vamos ver juntos as 10 curiosidades mais estranhas dos sets de filmes de sucesso:

1) 2001 Uma Odissea no Espaço

Parece que trabalhar com o diretor Stanley Kubrick nunca foi fácil. Um maníaco de detalhes e perfeccionista no set, ele foi capaz de filmar a mesma cena muitas vezes até esgotar os atores. Em relação a uma de suas maiores obras-primas, 2001 Uma Odisséia no Espaço, o diretor decidiu destruir todos os materiais de cena para que eles não pudessem ser reutilizados em outras produções do mesmo gênero. Ressabiado? Só um pouquinho!

2) Rocky IV

Silvester Stallone criou o personagem de Rocky e além disso, o interpretou tão bem que deu vida à uma das mais duradouras sagas da história do cinema. E pensar que, no começo, não queriam dar o papel à ele. No quarto capítulo da série Rocky, o ator pediu para o seu adversário, interpretado por Dolph Lundgren, que realmente o acertasse durante as cenas no ringue. Isso causou muitos traumas físicos para o ator e uma corrida para o hospital após um golpe no abdômen.

3) Titanic

Há certamente mais de uma razão pela qual o Titanic ganhou 11 Oscars dentre as 14 indicações e muitos espectadores apaixonados no ano de seu lançamento nos cinemas. A história de amor no set criou um excelente relacionamento, que ainda perdura hoje, entre Leonardo Di Caprio e Kate Winslet, mas o trabalho com o diretor James Cameron não foi nada fácil. As longas horas de filmagem (cerca de 80 por semana) e mergulho na água congelada certamente não ajudaram no humor.

4) Esqueceram de mim

Na sessão da tarde é um clássico que não cansamos de rever, mas existem alguns segredos bem escondidos que caracterizaram a produção de Esqueceram de mim. Um dos mais estranhos é a cena em que Joe Pesci pega um dedo do ator Macaulay Culkin e lhe dá uma mordida de verdade. Obviamente tinha que ser apenas uma encenação, mas Pesci mordeu o dedo do ator pra valer, que ainda traz uma cicatriz visível daquela cena infeliz. Pobre criança!

5) Uma Noite Alucinante: A Morte do Demônio

Como se constrói um clássico? Com um filme de baixo orçamento nos anos 80, alguns atores (todos amigos) e muitas cenas absurdas. The Evil Dead no Brasil,  Uma Noite Alucinante: A Morte do Demônio, faz parte da famosa trilogia de terror de Sam Raimi. Para aqueles que o conhecem, o filme combina os temas clássicos dos filmes de gênero com óbvia hilaridade e personagens à beira do grotesco. No set de qualquer forma, ele não pegou bem. Os 300.000 dólares do orçamento acabaram rápido e muitos atores deixaram o set por causa das horas angustiantes de maquiagem, e condições ruins de trabalho. A última metade do filme mostra um solitário Bruce Campbell com algumas outras aparições como pano de fundo.

6) Batman: O Retorno

Apesar de ter tido muitos rostos, a Mulher Gato mais memorável continua sendo Michelle Pfeiffer em Batman: o retorno. Recentemente, a atriz lembrou que se preparar para esse papel em um nível físico foi muito desgastante. Eles tiveram que colocar o traje, com a ajuda de um pouco de talco, em seguida, fizeram aderir à pele usando a técnica de vácuo. O traje era tão apertado que a atriz várias vezes ameaçou desmaiar, mas isso não é tudo. A cena do canário não foi filmada com um passarinho falso. Aparentemente o canário de verdade teve momentos de medo, e voou na hora do “corta” do diretor. Pfeiffer, teve uma experiência que ainda lembra com horror.

7) Psicose

Quanta dificuldade Alfred Hitchcock passou quando fez o primeiro “policial” para o cinema com cenas bastante fortes? Muitas, graças à censura, claro. Que os anos 60 não estivessem prontos para ver cenas de assassinato bastante brutais, até dá para imaginar, mas soltar os cachorros por causa daquela cena da descarga do banheiro … talvez tenha sido um pouco demais. O filme, no entanto, foi o primeiro a ter uma cena em que um ator, para tentar esconder os seus erros, decide puxar a descarga … e a câmera emoldurou o vaso o tempo todo.

8) Django Livre

Era uma vez, Django de Sergio Corbucci, o primeiro e inspirador de Django Unchained trazido ao sucesso por Quentin Tarantino em 2012. O filme trata do tema da escravidão no Texas em 1800 e encontra na trama um espaço para o papel de Calvin J. Candie, o terrível proprietário de terras interpretado por Leonardo Di Caprio. Em uma cena, o ator estava tão envolvido que cortou a mão. O corte começou a sangrar, mas o ator continuou a usar seu próprio sangue para tornar a cena ainda mais inquietante: ele decidiu espalhá-lo no rosto da atriz Kerry Washington. Definitivamente um dia inesquecível para ela.

9) Trainspotting

Bastante famoso, mesmo sem apresentações, a cena repugnante no filme Trainspotting que envolveu e chocou uma geração. Um dos romances mais famosos de Irvine Welsh foi um sucesso na tela graças à transposição de Danny Boyle. A cena em que um dos protagonistas, Mark Renton, desliza dentro do vaso sanitário com todo o seu corpo. O cenário e o vaso tinham sido cobertos com chocolate, então não apenas cheirava como uma doceria, mas também era uma deliciosa mistura para se mergulhar.

10) Willy Wonka e a Fantástica Fábrica de Chocolate

Primeira versão para a grande tela que apresenta O fantástico mundo de Willy Wonka e a fábrica de chocolate, o filme, interpretado por Gene Wilder, continua sendo um clássico do cinema. Os efeitos especiais nos anos 70 tiveram que ser um pouco ajustados. Absurdamente o rio de chocolate foi criado com chocolate de verdade, enquanto a flor em forma de taça que o ator tinha para mastigar era feita de cera. No final da gravação, Wilder teve que cuspir tudo. Realmente não muito poético.

Se você gostou do artigo compartilhe com os seus amigos no Facebook!