Zara Phythian doutor estranho
Advertisement

Além da atriz Zara Phythian, seu marido, o instrutor de artes marciais Victor Marke, também foi condenado por abusos sexuais contra crianças. Ambos foram presos nesta segunda-feira (16). Neste caso a divulgação da sentença foi feita pela corte de Nottingham Crown, na Inglaterra.

De acordo com informações do Jornal Extra, Zara Phythian foi acusada de abusar sexualmente de uma menina que tinha entre 13 e 15 anos na época. O crime aconteceu entre 2003 e 2005. A atriz ficou conhecida quando participou de ‘Doutor Estranho’, estrelado por Benedict Cumberbatch, em 2016. O juiz condenou a atriz a oito anos de prisão pelo crime de abuso sexual.

O marido de Zara, também cometeu crimes sexuais contra a mesma adolescente. Além disso, Victor Marke abusou sozinho de outro jovem menor de idade. O juiz o culpou por 18 crimes sexuais. Por outro lado, o juiz culpou a atriz por 14 crimes da mesma ordem.

Como Zara Phythian conheceu o marido

Zara e Victor se conheceram quando ela começou a fazer aulas de artes marciais com Victor. Logo em seguida, ela a atriz começou a ter uma carreira de sucesso nas lutas não só como dublê, mas também como atriz principal.

No depoimento à justiça, Victor Marke admitiu que teve relações sexuais com uma das meninas, porém declarou que ela já tinha 18 anos na época.

Advertisement

Mas também assumiu que o crime aconteceu em apenas uma ocasião. Em defesa da esposa, que nega ter cometido os crimes, Victor de fato afirmou que ela não esteve envolvida nisso.

Inocência roubada

Uma das vítimas disse à justiça inglesa que o casal  “roubou sua inocência”. Além disso, também disse que “corrompeu seu desenvolvimento” e que hoje, já adulta, sabe que era uma situação incomum e errada, mas que não conseguia se libertar daquilo: “Eu sabia que era errado, mas não sabia como sair da situação nem dizer nada. Eu apenas fiz o que eles me pediram para fazer. Eles fizeram parecer que eu era uma garota travessa e eles estavam me ajudando. Senti que não havia saída. Disseram-me para não falar nada”, de acordo com a vítima.