Barbara Borges
Advertisement

Barbara Borges estreou na televisão em 1995, aos 16 anos, como uma das Paquitas de Xuxa, onde ficou por quatro anos. Atuou no teatro em 1999. Ao mesmo tempo cursou Artes Cênicas e se formou em 2001. Nesse mesmo ano fez sua primeira novela vivendo a Luísa de “Porto dos milagres”. Em seguida, trabalhou em duas temporadas de “Malhação” onde fez muito sucesso. Em 2004 viveu a Jennifer em “Senhora do Destino”, papel que a tornou realmente famosa.
Depois dessa novela, Bárbara Borges participou de outros programas da TV Globo, assim como de outras novelas como “Pé na Jaca” e “Duas Caras”.

Em 2009 assinou contrato com a TV Record, onde esteve presentes em muitas produções da emissora. Seu último trabalho foi em 2018 na novela Jesus (Record).

Contudo, mesmo com todo o sucesso que Bárbara teve em sua carreira, nos últimos anos ela vem vivendo um drama em sua vida pessoal – o alcoolismo.

Na coluna publicada em 13 de janeiro de 2019, no jornal “O Dia”, a atriz revelou como chegou no fim da linha por causa do vício: “Antes de engravidar do meu primeiro filho, Martin Bem, eu vivi o que considero o auge do meu consumo de álcool e comecei a ficar incomodada porque ficava feliz queria beber, ficava triste queria beber, tudo era motivo para beber e foi então que tive a primeira consciência da minha dependência por não conseguir parar.

Advertisement

Lembro de ter de falar pra mim mesma ‘Quando eu engravidar, meu filho vai me salvar, porque vou parar de beber’. Engravidei logo em seguida e de fato fiquei mais de um ano sem beber, levando em consideração gestação e amamentação”, disse Bárbara.

Bárbara Borges continua a entrevista



Na mesma entrevista, ela também falou que teve amnésias alcoólicas chegando a negar o próprio vício. Por fim, reconheceu que viveu momentos dramáticos, além de perceber que ela era sua própria inimiga: “O mundo de aparências não é real e o alcoolismo não tem uma imagem padronizada. (…) Existem muitos graus do alcoolismo e eu vivi o meu, eu entendi onde bastava pra mim. Posso considerar sorte a minha não ter tido minha imagem exposta numa situação dessas, porque ao invés de olharem pra pessoa que passa por isso com cuidado, vendo que precisa de ajuda, a pessoa é ainda mais exposta, ridicularizada e tratada com preconceito”, finalizou.

A saber, em 2020, Bárbara Borges comemorou que estava há dois anos sem beber através de uma publicação nas redes sociais: “Maior que a conquista em batalha de mil homens mil vezes é a conquista de si mesmo’. Buda. Dois anos que me libertei de um padrão que não me fazia mais bem! Enfrentei a minha maior batalha interna! Abandonei minha válvula de escape e encontrei a liberdade do meu ser”.

No ano passado, em entrevista ao podcast “Novela das 9” (Globo), Bárbara relatou que ainda tem recaídas, entretanto segue em seu processo de reabilitação: “Estou me salvando, mas tenho recaídas. Estou em processo, vivendo. E hoje, descobri que a relação que eu estava vivendo antes era tóxica de um modo geral, eu precisava me tirar dela. Também estava sendo tóxica comigo. Então, graças a muita terapia e ao meu trabalho com espiritualidade, me sinto à vontade para falar que não estou aqui para salvar ninguém. Posso ajudar a inspirar pessoas a buscarem o caminho delas, a buscarem ajuda. E eu continuo seguindo a minha vida, com altos e baixos”.

A atriz nasceu no Rio de Janeiro no dia 26 de janeiro de 1979. Hoje, aos 43 anos, tem dois filhos, Martin Bem e Theo Bem. Ambos são filhos do administrador Pedro Delfino com quem foi casada oito anos.