brasileira presa na Tailândia
Advertisement

Em fevereiro, Mary Hellen Coelho da Silva (21), brasileira, foi presa com mais dois homens brasileiros, no Aeroporto de Bangkok (Tailândia), por tráfico internacional de drogas. A saber, os jovens portavam 15,5 quilos de cocaína. Após julgamento, ela foi condenada a 9 anos e 6 meses de prisão.

De acordo com uma de suas advogadas de defesa, kaelly Cavoli Moreira, a sentença foi decretada no Domingo (8). Porém, a embaixada brasileira só recebeu a informação na quarta-feira (11) e os advogados só souberam da decisão, através de um e-mail do consulado brasileiro, na madrugada de quinta-feira (12).

Ao tomar conhecimento da sentença, a brasileira presa, Kaelly declarou: “A gente teve uma pena muito positiva, melhor do que a gente esperava. Nós já tínhamos descartado a pena de morte e a prisão perpétua. Estamos caminhando para uma pena humana, o mundo precisa ir na contramão de penas desumanas”.

Como funciona a pena para o tráfico na Tailândia

Na Tailândia, o tráfico de drogas pode levar à pena de morte ou à prisão perpétua. Porém, depende do tipo de droga, das circunstâncias e da quantidade levada. No final de 2021, a pena para o tráfico de cocaína passou a ser de 15 anos de prisão.

Advertisement



Ainda de acordo com a advogada, Kaelly Moreira, a sentença é dividida em dois anos por crime civil e sete anos e seis meses por crime penal: “A brasileira teria sido assistida por defensor público nomeado pela própria corte. O setor consular está tentando desde quarta-feira (11), obter cópias dos documentos da sentença da brasileira”, explicou Kaelly.

Além disso, após conseguir o acesso à sentença, a defesa tentará a extradição de Mary Hellen para que ela cumpra a pena no Brasil.

Outro advogado de defesa de Mary Hellen, Telêmaco Marrace, afirma que a jovem entrou de “mula” na Tailândia. Ou seja, ela não sabia que estava carregando a droga na mala.

A defesa de fato estuda pedir o “perdão real” ao rei da Tailândia, Maha Vajiralongkorn que reina desde 2019.