Johnny Depp mãe
Advertisement

O astro do cinema, Johnny Depp, está processando sua ex-mulher, Amber Heard, por difamação e durante o processo, o relacionamento de Johnny Depp com a mãe veio à tona. Ela o teria acusado de abuso sexual durante o casamento. Além disso, o chamou de “velho gordo e sem classe”, prejundicando-o junto à campanha que faria para a Dior. Mesmo estando separados desde 2017, os dois ainda trocam acusações. E, enquanto as partes se acusam, detalhes secretos da vida do ator saem à luz.

Durante o julgamento, a irmã mais velha de Johnny, Christi Dembrowsky, foi chamada como sua testemunha de defesa. Então, relembra seus anos de juventude em Lexington, Kentucky, com sua mãe Betty Sue Palmer, uma mulher “muito nervosa”.

Calado e de cabeça baixa, Depp ouve  as palavras da irmã e se comove. Christi Dembrowsky (que agora leva o sobrenome do marido) falou sobre as diferenças de caráter de seus pais: “Papai (John Christopher Depp), engenheiro civil e segundo marido de Betty Sue Palmer, sempre foi gentil, paciente e amoroso”. Por outro lado, a mãe era totalmente o oposto: “Ela era ansiosa, nervosa e brava”. Também podia ser muito violenta quando discutiam: “Gritava, gritava com ele, batia nele, insultava-o”.

Advertisement

Ele não reagia para tentar manter a paz: “Ele deixava ela gritar, deixava ela desabafar e pronto”. Infelizmente, a mulher era violenta com os filhos também: “Ela gritava, nos batia, nos atirava coisas, nos insultava. Para cada um de nós ela tinha um apelido ofensivo”, conta Christi.

Um dos apelidos de Johnny Depp dados pela mãe era “One eye” (caolho), porque quando ele era pequeno os médicos o fizeram usar tapaolho em um dos olhos para fortalecer o outro (diagnosticado como “preguiçoso”). A irmã ainda disse que todos em casa tinham apelidos, mas ninguém ousava reclamar, pois estavam acostumados. Além disso, a mãe batia nos filhos com galhos de árvore. Johnny se escondia e chorava muito por ser criança. Quando o astro era adolescente e a mãe atirava objetos nele, o mesmo se trancava no quarto. Aliás, a técnica de se esconder quando a mãe começava uma briga em casa, era usada por todos da família.

Johnny Depp e a relação da mãe com seu uso de drogas

Com todas as dificuldades que passou com a mãe e com o pai muitas vezes ausente, Johnny Depp começou a usar drogas aos 11 anos. Uma vez ele descreveu sua casa como sendo uma “casa assombrada”, mas que graças a ela (à casa) ele conseguiu se tornar uma “pessoa protetora”. Quando seus pais se divorciaram, ele tinha 15 anos e sua irmã, 18. Sua mãe casou-se mais duas vezes. Seu último marido foi Bob Palmer, que morreu em 2000. Johnny Depp o considerava “uma inspiração”. Muito diferente foram as palavras usadas por ele na ocasião do funeral de sua mãe, em 2018: “Ela foi o pior ser humano que eu já conheci na vida”. Porém, algum tempo depois  ele admitiu que a adorava. Apesar de tudo, após sua morte, ele quis tatuar o nome “Betty Sue” no braço esquerdo.