prisão rosa
Advertisement

Muitas prisões suíças possuem celas totalmente pintadas de cor-de-rosa. Com o objetivo de tranquilizar os presos mais agressivos, eles permanecem nas celas rosas durante duas horas.

Há tempos as áreas de publicidade, marketing, design, além das áreas terapêuticas, pesquisam o efeito das cores nas emoções e no comportamento humano. No entanto, os estudos sobre a psicologia das cores ainda não foram totalmente desenvolvidos. Segundo os pesquisadores Markius Maier e Andrew Elliot, autores do estudo sobre cor e funcionamento psicológico “pouco trabalho teórico ou empírico foi realizado sobre a influência da cor no funcionamento psicológico e o trabalho realizado foi impulsionado principalmente por preocupações práticas, não por rigor científico”.

Então, porque usar rosa nas prisões?

O estudo começou na década de 1970 com experimentos feitos pelo pesquisador Alexander Schauss. A experiência de Schauss consistia em colocar homens com os braços estendidos diante de um pôster brilhante cor-de-rosa. Diante da cor rosa, ele conseguia empurrar os seus braços com facilidade. Por outro lado, ao colocá-los diante da cor azul, a resistência dos braços dos mesmos homens aumentava bastante.

Frente a essas descobertas, os oficiais navais Ron Miller e Gene Baker, resolveram pintar as celas de suas bases no mesmo tom (Baker-Miller Pink). Segundo os oficiais, a agressividade entre os prisioneiros diminuiu.

Advertisement

Dessa maneira, adotou-se o tom Baker-Miller Pink nas prisões na década de 1980.

Após trinta anos, outro estudioso, o psicólogo Oliver Genschow, aprofundou os testes no intuito de confirmar os efeitos calmantes da cor. Porém, os resultados foram negativos.

A princípio, o tom do rosa é o problema. O Baker-Miller Pink é mais quente e vibrante. Assim, em 2011, a psicóloga Daniela Späth iniciou testes com o Cool Down Pink, um tom mais pálido e suave, utilizado em dez prisões suíças. Durante os quatro anos seguintes, os funcionários das prisões declararam uma boa melhora no comportamento dos detentos.

Porém, há controvérsias quanto ao Cool Down Pink, embora as autoridades o considerem um sucesso. O fato é que os presos se sentem humilhados quando passam por essas celas. Segundo eles, as celas parecem ser “o quarto de uma garotinha”.

Finalmente, para grande parte da opinião pública, a tradicional associação da cor-de-rosa ao feminino e à fragilidade, torna a prática discriminatória, sexista e estereotipada.

O Cool Down Pink continua usado nas prisões suíças, assim como em outras prisões europeias. Mesmo assim, a controvérsia entorno da cor permanece, pois muitas pessoas acham essa prática manipulatória e degradante.