Ricky Martin
Advertisement

O caso de assédio sexual envolveu Ricky Martin (50) e um sobrinho de 21 anos. No entanto, arquivou-se o caso na última quinta-feira (21).

Dessa maneira, no mesmo dia (21), o cantor postou um vídeo de desabafo falando da remoção da acusação por seu sobrinho: “Faz quase quatro décadas que trabalho como artista, sob os olhos do público, e nunca tive que lidar com algo tão doloroso como o que vivi nessas últimas semanas. Fui vítima de uma mentira. Infelizmente, o ataque partiu de um familiar… Só desejo o melhor para ele, para que encontre a luz. Uma mentira pode causar muito dano. Prejudicou a mim, meu marido, meus filhos, meus pais, minha família. Eu não podia me defender porque havia um processo legal que eu tinha que seguir onde eu tinha que ficar em silêncio até poder falar com um juiz. Hoje foi o dia. Agora, é hora de me curar. Estou muito magoado. Encontrarei a paz, o silêncio necessário para voltar a ver a luz no fim do túnel, como sempre pude.”

Audiência entre Ricky Martin e sobrinho



A audiência tinha como objetivo decidir se a ordem de restrição emitida em favor do sobrinho seria mantida. Ela realizou-se em um tribunal de Porto Rico onde Ricky Martin compareceu virtualmente.

Advertisement

Contudo, o sobrinho (não identificado), retirou as alegações durante a audiência. Assim sendo, arquivou-se o caso.

A equipe jurídica do cantor soltou um informe sobre o caso: “O acusador confirmou ao tribunal que sua decisão de arquivar o assunto foi apenas dele, sem qualquer influência ou pressão externa, e o acusador confirmou que estava satisfeito com sua representação legal no assunto. O pedido partiu do acusador pedindo o arquivamento do caso. Isso nunca foi nada mais do que um indivíduo problemático fazendo falsas alegações sem absolutamente nenhum fundamento. Estamos felizes que nosso cliente viu a justiça feita e agora pode seguir em frente com sua vida e sua carreira“, notifica a assessoria jurídica de Martin.

A verdade prevalece”, disse Ricky Martin de fato, concordando com seus advogados.

Relembrando o caso

No dia 2 de julho, a juíza Raiza Cajigas emitiu uma ordem de restrição contra o cantor Ricky Martin. Tal ordem partiu de um homem (não identificado) que apresentou queixa de violência doméstica. Isso porque, de acordo com ele, sua segurança estava em risco, pois Martin se recusava a aceitar o fim de um relacionamento romântico de sete meses. Além disso, o rapaz contou que Ricky Martin telefonava e ficava do lado de fora de sua casa.


Em entrevista por telefone, um dos advogados do cantor, Joaquin Monserrate, declarou: “Estamos tratando dessa questão com diligência e estaremos preparados no tribunal na quinta-feira“. Além disso, o advogado também disse se tratar de uma queixa civil e que não havia nenhuma queixa crime contra Martin.

Apesar de o nome do acusador não ter sido divulgado por conta dos regulamentos de violência doméstica, no sábado (16), a imprensa americana divulgou que o acusador é o sobrinho de Ricky Martin.

Diante disso, o advogado fez a seguinte declaração ao site americano Vulture (New York Magazine): “Ricky Martin não está, nunca esteve e nunca estará, envolvido em qualquer tipo de relacionamento romântico ou sexual com o sobrinho dele“.